quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Vale a pena perseverar


Tiago 1:2-12

Introdução: muitas vezes, quando enfrentamos adversidades, ficamos a nos perguntar qual a razão de tudo aquilo, por que Deus permitiu aquele infortúnio, e isso pode até mesmo enfraquecer a nossa relação com o Pai Celestial. Diante de adversidades, é fundamental buscar o entendimento que a Palavra de Deus nos dá, a fim de preservarmos a nossa fé.

No verso 2, do capítulo primeiro, Tiago faz uma afirmação muito interessante que pode nos ajudar nesses momentos: “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações,”. Pode parecer algo absurdo, mas Tiago diz que é possível a alegria estar presente nesses momentos nada agradáveis. Como pode ser isso? Quando eu sei e conheço o objetivo de tudo aquilo que estou passando.

Vejamos, então, segundo as palavras de Tiago neste texto, o que devemos saber na hora das dificuldades.

Deus está trabalhando a minha fé para que eu seja perseverante – no verso 3, Tiago diz: “sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança”. Em primeiro lugar, eu devo crer que Deus está trabalhando a minha fé, a fim de que eu me torne perseverante. Veja que não é coisa do diabo, é coisa de Deus. Ainda que as trevas possam estar militando contra nós nesses momentos, Deus está usando a situação para imprimir em nosso caráter a perseverança.

A perseverança me levará à perfeição – no verso 4, ele diz: “Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes”. Quando perseveramos diante das dificuldades, se a perseverança tiver ação completa, nos tornaremos perfeitos e íntegros, em nada deficientes. Você tem alguma deficiência? Só tem um jeito de Deus curar isso, é nos dando uma oportunidade de sermos perseverantes. Assim é que nós crescemos.

Devo buscar em Deus, nessa hora de provação, a sabedoria para agir corretamente – em terceiro lugar, veja o que Tiago ensina no verso 5: “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida”. Neste ponto, vemos a participação de Deus no processo. Para enfrentarmos tribulações, precisamos de sabedoria para agir, e Deus nos dá os recursos necessários para perseverarmos, basta pedirmos.

Tenho que vencer a incredulidade da minha alma – o verso 6 faz uma ressalva importantíssima nesse trajeto proposto por Deus: “Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento”. Lembre-se que o processo é para fortalecer e ajustar a nossa fé. Obviamente, durante as provações, podemos ser atacados em nossos sentimentos e emoções. Tiago diz que devemos pedir em nada duvidando, ou seja, o caminho é o da fé, portanto, as dúvidas devem ser superadas.

Tenho que vencer a mente dividida – veja o que ele diz nos versos 7 e 8: “Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa; homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos”. A fé deve ter foco, ela não pode coxear entre dois caminhos. Uma fé que convive com várias possibilidades não alcançará o êxito, muito menos amadurecer. Muitas pessoas não perseveram na fé quando passam por dificuldades, porque o ânimo é dobre, isto é, a mente se dividiu.

Tenho que vencer a baixa autoestima – no verso 9, Tiago faz uma declaração muito preciosa: “O irmão, porém, de condição humilde glorie-se na sua dignidade,”. Ao se referir àquele de condição humilde, Tiago está tocando no problema da baixa autoestima, pessoas que não perseveram porque se acham incapazes. Muitos se entregam, se fazem de coitadinhos, e com seus complexos de inferioridade, não avançam. Por isso o apóstolo diz que o de condição humilde deve se alegrar na sua dignidade. Ou seja, naquilo que Deus fez em sua vida por intermédio de Jesus Cristo.

Tenho que vencer o orgulho – no verso 10, Tiago faz o contraponto: e o rico, na sua insignificância, porque ele passará como a flor da erva”. Podemos errar por nos acharmos incapazes, mas também podemos errar por nos tornarmos autossuficientes. Ainda que o esforço seja meu, eu dependo totalmente do Senhor e sei que a vitória vem dele.

Devo compreender que a minha perseverança me levará à recompensa – em último lugar, está o desfecho desse processo. Veja o que Tiago afirma no verso 12: “Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam”. A nossa perseverança no tempo da provação é uma declaração de amor ao Senhor. O nosso esforço e fidelidade não ficarão sem recompensa. Vale a pena lutar, perseverar e permanecer, certamente seremos coroados pelo nosso Senhor.


Laerte Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial