quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Encorajamento (2)

Quando recebemos o apoio e o incentivo de nossos irmãos, nos sentimos motivados a enfrentarmos as dificuldades inerentes à vida. Por outro lado, o sentimento de que estamos sozinhos e a sensação de que nossa vida não faz diferença para ninguém pode nos desanimar.
Podemos perceber isso em Gálatas 2:9. Neste versículo, Paulo nos fala do apoio que ele e Barnabé receberam de Tiago, Pedro e João para prosseguirem em seu ministério junto aos gentios. Paulo utiliza nesta passagem expressões marcantes. Ele diz que “Tiago, Pedro e João conheceram a graça que havia sido dada a ele”.  Não se trata de palavras de bajulação. Reconhecer nos outros o ministério recebido de Deus produz ânimo. Os apóstolos não estavam fazendo massagem no ego de Paulo, mas, certamente, aquele reconhecimento de que ele havia recebido algo de Deus foi positivo em sua vida, foi um incentivo a mais para que ele continuasse.
Entendemos que a atenção dispensada pelos líderes da igreja a Paulo foi importante para ele, pela forma como se refere a Tiago, Pedro e João. Paulo os chama de “reputados colunas”. Ao chamá-los de “reputados colunas”, Paulo está querendo mostrar que o apoio que ele estava recebendo não era um apoio qualquer. Quem o estava apoiando era a liderança da igreja de sua época e isso era extremamente motivador para ele.
Por último, neste mesmo versículo, Paulo diz que eles “estenderam a destra de comunhão para ele e Barnabé”. A expressão “destra de comunhão” é bastante significativa. Através dela percebemos a importância de termos na comunhão com os irmãos uma base sólida para apoiarmos planos e projetos. Saber que temos a aprovação de outros nos traz encorajamento para prosseguirmos. Estender a destra de comunhão é o mesmo que assinar embaixo; é o mesmo que dizer: “vá adiante que eu te apoio”, ou, “estou contigo nessa”.


Laerte Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial